updated 12:36 AM UTC, Aug 15, 2017

Segundo dia do Congresso destaca integração profissional

 Moderadora da mesa de debates com o tema “ensino com visão multiprofissional”

, a professora universitária e tesoureira da Federação Nacional dos Farmacêuticos, Célia Chaves, destacou que os cursos de graduação ainda são deficientes em ofertar interdisciplinar. Segundo ela, onde acontece essa troca de experiência com mais força é na residência. “Existem no país inúmeras residências multiprofissionais da forma como a gente imagina. Mas, não basta juntar todo mundo, é preciso fazer os profissionais se integrarem, atuarem juntos”.

A trajetória da palestrante Viviane de Almeida Sarmento, é o melhor exemplo. Ela é odontóloga, pós-doutorada em Radiologia odontológica e doutora em Estomatologia, e vice-coordenadora de uma residência clínica integrada com oito cursos diferentes. “É fundamental que os profissionais se conversem”, alerta Célia. O Uso Racional de Medicamentos tem muito a ganhar com esta ação. “Sem dúvida há o benefício quando há a formação do profissional com esse olhar”.

A estudante de farmácia de Mogi das Cruzes, Daniela Cristina, saiu da palestra encantada. “Foi muito sensacional ver um dentista mostrando as deficiências que um paciente tem, e a avaliação em conjunto do farmacêutico, do médico, do enfermeiro”.

Agora, ela tem uma “outra visão de como deve ser”. “Antes, o farmacêutico era muito individualizado, mas agora eu vejo que tudo se encaixa perfeitamente”.

Se as profissões na área da saúde se completam, a única mensagem que fica em evidência não é difícil de entender: a saúde carece de profissionais capacitados, aptos a entender as necessidades de cada paciente, conectando-os uns com os outros.

Leonardo Simões

Última modificação emDomingo, 11 Junho 2017 13:37